logo

domingo, 10 de outubro de 2010

A Criança é o futuro

Por Patricia Carol

Outro dia, passando diante de uma livraria em Ipanema, vi uma propaganda inteligente e oportuna para a data. Dizia num cartaz que tomava praticamente todo o mostruário:

A CRIANÇA É O FUTURO E O PRESENTE É O LIVRO!

Que coisa interessante, se olharmos mais fundo, vendo não só o jogo de palavras sugerindo o livro como OBJETO para presentear nossas crianças, mas sentindo a importância do livro na sua função mais estendida da educação.

Quantas crianças não tiveram ou ainda não têm a oportunidade de folhear com assombro e deslumbramento as páginas de uma estória bonita...algumas acompanhadas de gravuras ilustrativas, que já são em si mesmas uma parte da ARTE COTIDIANA à qual tantas pessoas, além de crianças, nunca tiveram acesso.


Isso, de já introduzir desde cedo na infância através da adolescência toda, até a juventude, essa maravilha que é o LIVRO, constitui a base cultural para a formação do ser maduro. Pensemos agora, como adultos, que imensa contribuição fraterna pode ser o compartilhamento do nosso conhecimento pessoal através do estudo e do lazer que obtivemos do livro, com os que nunca puderam obtê-los em criança.

A conservação desse suporte sensível que é o papel, nos livros, gravuras, etc é muito importante para permitir que eles sigam pelas mãos de cada um, até irem chegando às de outros e assim, perpetuando o conhecimento e a beleza contidos neles. Quantas vezes deixamos leituras antigas encostadas em algum canto esquecido da casa, ou dentro de uma caixa velha e úmida em armários, empoeirando e criando mofo! Se ao menos nos lembrássemos que basta encapá-los com algum material protetor (papel Celofane Azul protege do desbotamento por raios solares/o “Craft” embora mais resistente é muito ácido e não permite visualizarmos as letras da capa ) para mantê-los em uso por mais tempo, não dobrando nem “marcando” com vincos as bordas, nem sublinhando à tinta de caneta(a não ser com Nankin que é menos agressiva...mas ninguém utiliza normalmente... a esferográfica é o “terror das fibras”!, PORTANTO, o velho LÁPIS é o ideal para anotar de leve os pensamentos ou outros ao manusearmos qualquer livro).

Esses pensamentos acerca de CONSERVAÇÃO do PAPEL não vieram à tona por mera coincidência, eu quis compartilhar minha experiência profissional como bibliotecária e pela atividade decorrente que exerci por muitos anos, como conservadora e restauradora de obras de arte em papel.

A CRIANÇA é o mais belo “livro” que nosso CRIADOR “escreveu”!

5 comentários:

Stella Halley disse...

Adorei a postagem! Já vou aposentar a esferográfica e adotar o lápis. Iluminador amarelo também é ruim para o papel?

Patricia Carol disse...

Olá, Stella!

O iluminador amarelo é ruim sim para o papel. Melhor o lápis normal grafite.

Cristina disse...

Patricia, nova blogueira (séria) na praça... Adorei! O uso recomendado do lápis já me foi ensinado há tempos por uma querida amiga, biliotecária e restauradora!
O presente de dia das crianças para JP será um livro - sempre o melhor presente. Clichê, mas verdadeiro.
Cris

Patricia Carol disse...

Cris,
Acho que a restauradora a quem se referiu também é muito conhecida e amiga minha! Continue aplicando seus conhecimentos pois o JP já irá incorporando o seu bom exemplo.

Abraço,
Carol

Liana Clara disse...

A Patrícia esta arrasando aqui no BLOG. Aguardem que em breve teremos mais temas escritos por ela.

Postar um comentário