logo

domingo, 12 de outubro de 2014

Ideias para diversão em família - pensando no dia das crianças


Eu amo atividades que a família possa fazer junta porque todos se conhecem, sabem os gostos, os pontos fortes e, principalmente, os fracos, o que pode gerar muitas brincadeiras entre os membros da família!

Para passar algumas horas divertidas em família é preciso um pouco de criatividade e de disposição para preparar o necessário.

Piquenique na sala: sim, eu amo piqueniques! Ao ar livre, no quintal, dentro de casa. A grande vantagem do piquenique é que precisa de muito pouca coisa: uma toalha para forrar o chão, qualquer comida que não precise de talheres, sucos e frutas. Para as crianças, a quebra da rotina já é uma garantia de diversão e, se vocês tentarem, vão perceber que para os adultos também é! Sugeri a sala, que em geral é onde tem mais espaço disponível, mas com as noites quentes que se aproximam, também pode fazer o piquenique no quintal. A ideia é todos sentarem juntos e ficar conversando ou jogando.

Jogos Adivinha quem: esse jogo garante a diversão tanto para grupos pequenos, como para grupos grandes. Fizemos aqui em casa um “jantar dos primos”, convidei meus primos e seus respectivos namorados e cônjuges. Estávamos em 13 adultos e acho que nem nas festas em que éramos crianças nos divertimos tanto (tudo bem que a maioria tinha bebido um pouco, o que ajudou!). Você precisa escrever em papéis o nome de várias personalidades, quanto mais variado, mais engraçado fica. Alguns exemplos: Einstein, Papa Francisco, Tolkien, Obama, Marie Curie, Silvio Santos, Freddie Mercury, Roger Rabbit, Ana Maria Braga, Superman. É só deixar a imaginação solta, pensar em personagens que possam ser engraçadas quando a pessoa descobrir quem é. Também pode colocar pessoas que têm história engraçada para a sua família ou roda de amigos, alguém que nem seja famoso, mas conhecido de todos que estarão brincando. Para jogar: cada pessoa pega um papel e, sem olhar, cola na testa (eu usei fita adesiva, não tenho ideia melhor do que usar para isso!). Ao colar na testa você se torna essa pessoa do papel: todos sabem quem você é, menos você mesmo. Escolham quem vai ser o primeiro a perguntar e depois é só seguir em roda, cada um fazendo uma pergunta por vez. Só podem ser perguntas que serão respondidas com sim ou não, por exemplo: Sou mulher? Sou político? Sou desenho? Sou personagem de filme? Os demais respondem sim ou não. Quando a pessoa acha que já sabe quem é, pode tentar adivinhar. Se errar, tem que pagar um castigo (ou não, é só combinar antes que o jogo comece). Até mesmo crianças pequenas podem brincar, sugiro apenas que, para eles, sejam papéis separados, com personagens que fazem parte do conhecimento deles (personalidades que já estudaram, super heróis, personagens de contos de fada). Outra ideia para definir as personagens: cada pessoa escreve em um papel uma pessoa ou personagem e entrega para a pessoa do lado. Se não houver tempo para preparar com antecedência, é uma boa solução para montar o jogo na hora.

Imagem e ação: esse jogo é demais!! Minha irmã comprou e sugeriu de jogarmos em um almoço de domingo (que é sempre na casa da minha mãe). Todo mundo gostou tanto, que já repetimos várias vezes. O jogo é muito simples: existem seis categorias de desenhos, a casa que você está no tabuleiro indica a categoria que será desenhada. Na regra original, dependendo da casa do tabuleiro, todos os grupos jogam ou apenas o grupo que está vencendo, que joga até não conseguir adivinhar e passa a vez. Como o jogo assim pode ficar entediante, mudamos a regra para que todos os grupos desenhem juntos, o grupo que acerta, anda com o pião. Um integrante de cada grupo lê o que deve desenhar na ficha e todos começam a desenhar juntos. Há um tempo para tentar adivinhar o que é o desenho. Quem adivinhar primeiro anda com o pião, se ninguém adivinhar, pega outra ficha e desenha de novo. Também pode escolher fazer mímica em vez de desenhar. Se você não tiver o jogo, também é possível adaptar: é só escrever o que desenhar em papéis e cada grupo sorteia um papel por vez. Fica mais divertido quanto mais variadas forem as opções: objetos, lugares, filmes, pessoas. Outra opção é escolher um tema, por exemplo: filmes, cada pessoa escolhe o filme que quer desenhar ou escreve o nome de vários filmes em papéis e faz o sorteio. Esse jogo precisa de no mínimo quatro pessoas, que ficam separadas em duplas, mas não tem limite de participantes: se forem muitos é só ir aumentando os grupos.

Jogo de enquete: esse jogo é bem bacana para a família se conhecer mais ou para testar o quanto cada um conhece o outro. Também é bem simples de preparar: escrever em papéis perguntas variadas (qual é meu favorito: animal, comida, artista, música, banda, jogo, programa de TV, filme, personagem, cor etc). Escolhe como será a sequência de perguntas: cada um pergunta sempre para o mesmo ou sorteia no papel ou vira uma garrafa, quem fica do lado do fundo faz a pergunta e a pessoa para quem a garrafa aponta, responde. 

Um comentário:

Jaqueline Melo disse...

Bom demais esses jogos! Além de divertir, ainda une a família! Quer coisa melhor?

Postar um comentário