logo

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Peppa Pig

Por Maite Tosta*

“Oi, eu sou a Peppa! Esse é meu irmãozinho George..” Quem tem filhos pequenos já ouviu muitas vezes essa introdução! As minhas nenecas (neneca = neném + boneca) amam a Peppa Pig! Precisei até ajustar um pouco nossa rotina aos horários do desenho na grade do Discovery Kids, pois elas não abrem mão.

Segundo o site do canal, “Peppa é uma porquinha amorosa que mora com seus pais e seu irmãozinho, George. Peppa adora brincar de se fantasiar e passa o dia saltando entre as poças de lama ao redor de sua casa. Suas aventuras sempre terminam com muitas gargalhadas”. Pelos diálogos, é possível estimar a idade de Peppa em mais ou menos quatro anos.

O desenho atualmente está no meio de uma polêmica, pois alguns o consideram feminista – há um episódio em que a mãe de Peppa trabalha no computador enquanto o Pai passa aspirador na casa (“Queda de Energia”) – e pensam que as atitudes de Peppa – que frequentemente hostiliza o irmão e chama o pai de “Papai bobinho” – são maus exemplos para as crianças.

A verdade é que apesar de todo o frisson daqueles que condenam o desenho, Papai Pig trabalha fora, como se vê no episódio "O Escritório do Papai", e não há mal algum que ajude a Mamãe Pig com as tarefas da casa! Além do mais, o desenho é britânico, e o componente cultural deve ser levado em conta. Em inglês, o que Peppa diz é “silly daddy”, que não é pejorativo e está inserido no contexto cultural, pois no Reino Unido é comum dizer-se aos amigos e até aos pais “Silly you!” sem que isso seja entendido como um desrespeito. No final dos episódios Peppa e George se entendem – como sempre ocorre entre irmãos, e a família cai numa gostosa gargalhada, frequentemente pulando em poças de lama.

A animação oferece, no fim das contas, uma diversão leve e familiar. Portanto, basta estar atento e conversar com as crianças sobre o que elas veem, ensinar que não é legal chamar o pai de “bobinho”, que se deve brincar com o irmãozinho menor... e que lama não é exatamente um brinquedo legal rsrsrsrs....

* Maite Tosta - bacharel em Letras e especialista em Direito Constitucional, é serventuária de Justiça, tutora de cursos à distância, casada e mãe de quatro filhos no Rio de Janeiro/RJ. Católica e Vascaína, gosta de escrever e de mídias sociais.

2 comentários:

Jaqueline Melo disse...

Eu já passei da fase dos desenhos, mas achei bem legal a história da Peppa, eu não imaginava que tivesse tantos ensinamentos assim! Acredito que tudo que remeta ao lúdico, demonstrando o moral da história com lições de convivência em família pode e deve ser incentivado entre os pequenos! Ótimo texto Maite!

R. Suppi disse...

Muito bom, Maite! Eu não sou fã do desenho, mas concordo com vc! Se começarmos a "proibir" os filhos de assistirem aos programas infantis por causa de detalhes que discordamos, não sobraria nda ou quase nda. Mto melhor estarmos juntos, ficarmos atentas e aproveitarmos as discordâncias para formá-los e educá-los.

Postar um comentário