logo

sábado, 16 de agosto de 2014

Por que eu gosto de ler?

Por Ana Paula Oliveira*

Muitas pessoas por aí me perguntam: Por que você gosta tanto de ler? Qual o motivo dessa paixão por livros? Nenhuma resposta seria melhor do que a famosa frase: Palavras são vida. Muito clichê? Sim, eu sei. Mas, o que seria do mundo sem a comunicação? Os livros são uma forma do autor expressar e comunicar suas ideias, compartilhar sua imaginação e entreter-nos com sua história e personagens.

Eu gosto de pensar que livros são como mães, que lhe ajudam nos momentos difíceis da vida. Claro que todos sabem que os livros não fazem nem metade do trabalho das mães, mas a ideia de ajudar nas horas difíceis, de estar sempre perto para consolar e sempre fazer o seu melhor para lhe fazer esquecer dos seus problemas é até bem parecida.

Quando você era criança e tinha um pesadelo durante a noite, sua mãe provavelmente ia até o seu quarto e lhe contava uma história para te acalmar e muitas vezes a história tinha uma moral significativa, como "nunca confie em estranhos" ou "sempre obedeça seus pais", e é exatamente isso que os livros fazem, quando você teve algum problema, qualquer que seja, os livros te entretém com o seu enredo e com isso você simplesmente se sente melhor. Mas os livros não são só como mães, eles também sãos seus melhores conselheiros.

Muitas vezes quando eu ficava triste por causa de alguma briga, tanto com meus amigos, quanto brigas familiares, ou triste por morte de algum parente, os livros sempre me ajudaram a me acalmar e a ter esperança, esperança de que tudo pode melhorar. Você vê vários personagens de diversos livros, que já passaram por tempos horríveis e nunca perderam a esperança. Normalmente eles conseguiam pensar e arrumar um jeito de consertar as coisas e no final acaba tudo bem.

Portanto, você, que diz que ler é chato, que é ruim, que livros são ruins, tente enxergar por trás das páginas e ver a beleza que aquela história está lhe mostrando.


*Ana Paula Oliveira – Nona filha de uma família numerosa, blogueira de 14 anos, apaixonada por ler e amante de tudo sobre a  Inglaterra.

7 comentários:

Marcia Oliveira disse...

Parabéns pelo excelente texo! Fico muito feliz em saber que uma jovem que nasceu na era da internet tenha tanta paixão pela leitura. Continue assim! Beijos!

Matheus Tosta disse...

Gostei muito Ana! Eu também amo ler e me identifiquei muito com o que você escreveu. Parabéns!

Maite Tosta disse...

Ana Paula, eu fui uma criança e uma jovem que amava a leitura. Desde que aprendi a ler, lia de tudo, histórias infantis, contos, Monteiro Lobato, toda a coleção "Para Gostar de Ler"... ao começar a aprender inglês, comecei a ler também, e no original, Agatha Christie, as histórias de Sherlock Holmes e James Bond... gostava de tentar adivinhar o final. Li também "As Brumas de Avalon" e os contos de cavalaria do Rei Artur.

Na faculdade, li muita coisa, mas em especial gostei muito de ler - também em Inglês, pois estudei Letras, Português - Inglês e literaturas - Wuthering Heights, de Emily Brontë, e quase todos os livros de Jane Austen, mas em especial "Pride and Prejudice" (Orgulho e Preconceito), "Mansfield Park" e "Sense and Sensibility" (Razão e Sensibilidade).

Jane Austen recebe muitas críticas injustas, de que suas obras são "água com açúcar", mas na verdade, se a gente souber ver por trás do enredo "boy and girl meet and fall in love", há uma abordagem delicada e sutil da natureza feminina e dos relacionamentos interpessoais.

A mulher que Austen retrata como admirável também lê muito, geralmente toca piano - como era comum entre as mulheres na época - tem uma vaidade na medida certa, dança, diverte-se, sabe a hora de falar e de calar, se importa com os sentimentos alheios, cuida dos que precisam, faz caridade, ama, muitas vezes em silêncio, é boa conselheira, não se desespera, e, embora não haja nenhuma religiosidade explícita, tem fé e esperança.

Enfim, eu sou fã! Você já leu alguma coisa da Jane? Gostou? Eu gosto bem mais dos livros que dos filmes!

Já adulta, li o primeiro livro da série Harry Potter, em inglês. Não li os outros, vi alguns dos filmes. Tenho vontade de lê-los, mas sempre em inglês.

Hoje em dia leio bem menos do que gostaria. O último livro de ficção que li foi o "A Culpa é das Estrelas", que o Matheus me recomendou, e já tem um tempinho. Mas vendo vocês dois, me animo a retomar o hábito.

Um grande abraço, e espero ver mais textos seus por aqui!


Jaqueline Melo disse...

Ai que show! Adorei o texto Ana Paula! Tenho que retomar esse hábito urgentemente! Agora com esse seu texto eu senti uma falta de ler! Você e o Matheus são ótimos incentivadores! Parabéns querida!

Liana Clara disse...

Adorei essa analogia dos livros com as mães. Perfeito. De fato os livros nos acalentam a alma e nos levam por caminhos maravilhosos, quando bem escolhidos.
Escolher o que ler é uma grande arte.Já as mães não podemos escolher, rsrsrs

Ana Paula disse...

Obrigada pelos elogios!!! Fico muito feliz que tenha feito algumas pessoas a voltarem a ter o hábito de ler!

R. Suppi disse...

Show de bola!!!! Tbm me identifiquei bastante com o texto!!!! Parabéns!!!!

Postar um comentário