logo

terça-feira, 19 de agosto de 2014

O que é doula?

Por Carol Balan *


Doula hoje é um termo que está em alta. Há quase 7 anos, quando o ouvi pela primeira vez, apenas uma ou outra pessoa sabia o significado e a maioria nunca tinha ouvido falar. Atualmente, qualquer reportagem ou artigo que fale sobre parto normal provavelmente mencionará a palavra doula. Porém, seu significado ainda gera alguma confusão: é muito comum confundir doulas e parteiras, que são duas atuações muito distintas.

Parteiro é o profissional que acompanha o parto. Antigamente, esse papel era desempenhado por mulheres que normalmente já eram mães e que recebiam o conhecimento através da tradição oral e da experiência, e que aprendiam a partejar acompanhando outras parteiras, mais experientes. Hoje, os parteiros podem ser: os médicos obstetras (que todas conhecemos), enfermeiros com especialização em obstetrícia, obstetrizes (profissionais formados pelo curso de obstetrícia). Esses são os profissionais com formação reconhecida e que atuam em hospitais, maternidades, casas de parto e residências. Aqui no Brasil, entretanto, temos ainda muitas parteiras tradicionais - em geral, mulheres que fazem parte de comunidades indígenas e ribeirinhas e aprendem o ofício da mesma maneira que antigamente.

Esse profissional acompanha o pré-natal e pede exames de rotina ou outros exames. Durante o parto, acompanha a mulher e o bebê para garantir que tudo está bem e pode determinar se serão necessárias intervenções e realizá-las - como romper a bolsa, por exemplo. Esse profissional também está apto a realizar manobras para auxiliar o nascimento do bebê. Contudo, se for necessária uma cesariana, somente o médico obstetra poderá realizá-la.

A doula não tem autorização para realizar qualquer exame ou fazer diagnósticos. O seu papel é dar apoio físico e emocional à mulher. Apesar de ser um termo que parece tão atual, o papel da doula é muito antigo. Se pensarmos em como os partos aconteciam antigamente, a visão é meio comum para todos nós: a mulher entra em trabalho de parto, alguém vai chamar a parteira e algumas mulheres, parentes e amigas, chegam para ajudar. Elas estão ali para dar suporte emocional para a mulher que está tendo bebê, mas também para ajudar com a casa, com outros filhos e para auxiliar a parteira, fervendo água e buscando utensílios que ela possa precisar. Elas também permaneciam com a mulher por alguns dias, auxiliando no período do resguardo. A doula retoma esse papel que acabou se perdendo quando o parto deixou de ser um evento familiar e passou para o ambiente hospitalar.

Esta gravura é bastante comum nas buscas pela internet, representa um parto no século XVI e podemos perceber o papel da parteira e da doula: a mulher que está sentada em frente à parturiente é a parteira e a que está atrás é a que hoje chamamos de doula.


No próximo texto falarei um pouco mais sobre o papel da doula.

Imagens: Internet

*Carol Balan - pedagoga e doula, é católica, casada, mãe de 2 meninos e dona de casa em Araraquara /SP. Ama cozinhar, bordar, fazer crochê e tricô.

2 comentários:

Jaqueline Melo disse...

Oi Carol, que bom que essa humanização do parto está voltando! Espero ansiosa o próximo texto! Parabéns!

R. Suppi disse...

Vou ficar acompanhando! Gostei demais do texto!!!!

Postar um comentário