logo

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Dia a dia com o bebê.

Por Marina Gladstone Pereira*
Antes de ser mãe, eu sempre me perguntava o que um bebê fazia? Os contatos que havia tido com o universo da chupeta não me diziam muita coisa, e o bebê parecia ser um pequeno alienígena fofinho. Algo a que assistiria no Globo Repórter numa sexta à noite para aprender.

Mas chega um dia que o desejo da maternidade se concretiza. Como toda mamãe de primeira viagem, logo comecei a ler sobre bebês. Sempre ouvi que “criança é o que a gente acostuma”. É verdade: eles se acostumam com o que queremos e, também, com o que fazemos mesmo sem querer. Por isso, é de suma importância pensar como agimos com os bebês, o que eles compreendem das nossas ações e o que isso acarreta neles. Como não falam, a comunicação – e a educação - vem do que os gestos significam. Ordenar o dia do bebê, com uma rotina de atividades, é uma forma de educá-lo para se tornar uma criança obediente e um jovem que tem domínio de si.

Minha princesa chegou e passei da teoria à prática. No início não há muito o que fazer, é dar o peito e trocar a fralda. Mas, de repente, eles começam a ficar acordados. Fala-se muito em estimular o desenvolvimento do bebê, vem a cobrança de ser uma boa mãe; mas, na prática, exatamente o que isso quer dizer?

Fui descobrindo que há muitas atividades que colaboram para o desenvolvimento. Se pusermos todas na ponta do lápis, vamos ver que é preciso mesclar algumas para dar conta do dia. A amamentação se dá, em geral e preferencialmente a cada três horas, com uma margem de meia hora mais ou menos. O bebê tem que tomar banho e pegar sol, nisso não há escolha. Nos outros momentos do dia pode-se escolher entre exercitar o imaginário e o vocabulário com leitura, o senso do belo e dos sentidos com música de roda (como a galinha pintadinha) ou música clássica, a piedade com oração, o desenvolvimento motor com ginástica, a orientação espacial com estímulos sonoros, incentivar a descoberta do corpo com massagens, além de passeios, brincadeiras com o móbile, conversinhas e, claro, muitos beijos, abraços e cheirinhos.

O sono é essencial, e quanto menor o bebê, mais longa será a soneca e menos tempo passará acordado, por isso as atividades não devem ser muito longas. Com um mês, duravam cerca de dez minutos; hoje, com quase quatro, duram uns 25 minutos. Acostumar o bebê a ficar num local durante as atividades ajudará a mãe que cuida do lar, pois a tendência é ficar cada dia mais tempo acordado. O quadrado (cercadinho, chiqueirinho) é um bom local, pois, no futuro, o bebê já estará acostumado a brincar sozinho nele.

Aqui o que me ajudou bastante foi ter um horário escrito com uma sequência das atividades escolhidas. Isto ajuda a deixar o dia completo, pois com planejamento não se perde tempo.

Como toda mãe, espero estar fazendo o melhor para minha princesa, e, começando desde cedo, desejo formá-la nas virtudes e ajudá-la a adquirir bons hábitos. Já tenho percebido os benefícios de manter uma rotina, principalmente em termos de sono tranquilo à noite – o que, convenhamos, é muito bom para a mamãe também...

Atualmente (com quatro meses), o horário da minha bebê é:

(entre 6 e 9) Acordar, mamar, trocar a fralda e rezar em família.
Soneca
(entre 9 e 12) Mamar, trocar, leitura (10 minutos), ginástica e conversinhas
Soneca
(entre 12 e 15) Mamar, trocar, música (10 minutos), conversinhas
Soneca
(entre 15 e 18) Mamar, trocar, passear (banho de sol)
Soneca (se possível)
18 - Mamar, banho, trocar, berço às 19h.

Partilhei com vocês um pouquinho do dia a dia com meu bebê... e como é o de vocês?

*Marina Gladstone Pereira– Esposa, mãe,  dona de casa e Atuária.

3 comentários:

Jaqueline Melo disse...

Que linda sua bebê Marina! Que maneira linda que você encontrou de se organizar! Eu acho que a coisa mais difícil de quando se tem bebê é manter a rotina organizada! Suas dicas são ótimas! Parabéns!

Tati Abreu disse...

Olá! Como consegue fazer ela dormir às 19h? Minha filha vai fazer 4 meses agora em setembro e o mais cedo que dorme é 22h30min.

Luís Guilherme Fernandes Pereira disse...

Oi, Tati, sou o LG, marido da Marina.

A gente consegue fazer a bebê dormir cedo exatamente fazendo a rotina dela (mas ajuda o fato do horário dela ser naturalmente cedo).

Desde poco depois que ela nasceu, a gente usa o método do livro "Nana, Nenê", que consiste em ter vários ciclos, compostos de: "Acordar, mamar, ficar acordado, dormir", esses ciclos duram 3h no começo. Vale a pena ler o livro, mas o crucial é dar esses intervalos de 3h entre as mamadas, para o bebê ir regularizando o horário.

Depois a Marina passa aqui e comenta mais :)

Postar um comentário