logo

domingo, 26 de setembro de 2010

Filhos pequenos trabalhos dobrados

“As crianças crescem rápido!” É o que dizem os mais experientes, mas quando estamos no redemoinho de atividades com os filhos pequenos, a impressão que temos é de que o tempo não passa.

São tantas tarefas: idas ao médico, à escola, ao mercado,; roupas pra lavar, comidas a fazer, idas ao balé, natação, judô... e por aí seguem os inúmeros afazeres que o pai e a mãe dividem entre si ao longo de cada dia, para darem conta do recado com os filhos.

É uma fase que precisa ser curtida ao máximo e, justamente pelo excesso de tarefas a cumprir, acabamos não trabalhando bem isso. E sem que notemos, ao abrir os olhos, as crianças já cresceram e perdemos a melhor fase.

Acreditem, é muito importante aproveitar cada gracinha dos pequenos, o crescimento escolar, o primeiro dente a nascer e a cair, a primeira palavra... Cada detalhe ficará perdido nas lembranças caso não seja vivido com intensidade. Por exemplo: um filho que se alfabetiza aos 5 anos e lê no dia das mães um texto inteiro, na frente de toda a turma e das mães, é um fato para ficar guardado num cantinho lindo da memória, para ser recordado nos momentos de turbulência , da idade avançada, quando as coisas começam a parecer enfadonhas e perdemos a empolgação dos primeiro tempos de casada e dos filhos pequenos. Essas lembranças servirão de alento num tempo da vida onde não ocorrem mais tantas novidades, não temos mais tanto trabalhos e começamos a avaliar o que já foi feito nas nossas vidas.

Como a memória, com o passar dos anos, vai falhando, podemos usar o artifício de anotar em livrinhos os principais acontecimentos de cada filho, para que mais tarde estas lembranças possam ser contadas aos filhos já maiores e eles venham a saber muitas coisas sobre si.

8 comentários:

Anônimo disse...

Será que tem criança que sabe ler aos cinco anos??

Liana Clara disse...

Bom anônimo, eu tive esta experiência com meu filho mais velho, ele aprendeu a ler com 5 anos,através das embalagens dos alimentos ia aprendendo o nome das coisas e por fim quando já entrou na alfabetização já lia corrente e com pontuação. E a minha irmã também aprendeu a ler mais cedo ainda com 3 anos e meio, são crianças precoce com uma sagacidade grande.

Anônimo disse...

eu sabia ler aos cinco anos! mas ela só lembra do preferido...

Liana Clara disse...

Ela quem, anônimo?

Eu estava dando apenas um exemplo. Não queria me exibir mostrando que meus filhos sempre foram TODOS muito talentos.

Anônimo disse...

E eu nasci analfabeto.

Stella Halley disse...

"anotar em livrinhos os principais acontecimentos de cada filho, para que mais tarde estas lembranças possam ser contadas aos filhos já maiores e eles venham a saber muitas coisas sobre si."

Isso é uma delícia! Foi um dos melhores conselhos que já recebi (não de você, querida Liana, que eu ainda não conhecia, mas de um amigo psicanalista). Hoje tenho mais de 1200 páginas escritas em que meus 5 filhos mergulham de quando em vez. São também um testemunho do nosso amor de pais, para os momentos bons ou difíceis. Adoro seu blog, Liana!

Desirée Tapajós disse...

Adorei esse texto/dica, tento aproveitar ao máximo os momentos que passo com minhas filhas.

Desirée Tapajós
http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br

Liana Clara disse...

Olá Desirée, seja bem vinda ao Blog e visite-nos sempre. É um prazer termos mães dedicadas por aqui.

Postar um comentário