logo

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Perguntas e Respostas: Dra Mannoun Chimelli - Adolescentes - Como educar? (Parte 14) Dra Mannoun Chimelli

As perguntas estarão apenas com as iniciais dos nomes, para deixar bem a vontade nossas amigas.
Violência com os pais
1 – A. diz: Dra o que fazer quando um filho adolescente agride o pai idoso. Meu marido já tem certa idade, casei tarde com ele e hoje nosso filho não o respeita e, além disso, é agressivo com ele sempre que o pai o repreende por atitudes erradas. Ele chegou a dar um empurrão no pai pra sair da frente dele que chegou a machucá-lo. Ele tem 17 anos e é bem forte. Nós sempre demos o melhor que pudemos a ele. Não sei o que fazer.

RESP: Cara senhora, Bom Dia! É muito importante que seu filho tenha limites e aprenda a controlar suas emoções, pois fica agressivo ao ser repreendido, como a senhora relata.Como conseguir este controle? Vocês sempre deram o melhor de si para ele. Partindo desta realidade, converse com ele a sós, e ofereça um acompanhamento com psicólogo, dizendo exatamente que nós todos, seres humanos temos emoções e que o necessário é saber utilizá-las bem, de uma forma saudável para nós mesmos e para saber conviver - em meio aos familiares na casa, com amigos, na escola e na sociedade. Com 17 anos ele já deverá estar saindo da etapa mais desconcertante da adolescência, mas precisa de uma ajuda especializada para conhecer-se melhor e ter mais compreensão de quem é ele mesmo, de suas reações e atitudes. Não só ele, mas a senhora e seu marido necessitam de ajuda para que saibam lidar com ele, com carinho, mas com firmeza, resgatando a autoridade de pais que o amam e desejam o melhor para ele. Fico a seu dispor para novos entendimentos, se desejar. Boa sorte, e não deixem de pedir ajuda a Deus- oração dos pais é muito preciosa para os filhos! Um abraço, Mannoun

A masturbação e o adolescente

2 - W. F S. diz: Doutora, Eu semana passada entrei no quarto do meu filho que tem 12 anos e pareceu que ele estava se masturbando. Falei com uma amiga pediatra e ela disse que isto é normal, que faz parte do desenvolvimento do adolescente e que eu deveria pedir ao pai dele para conversar com ele. Falei com meu marido sobre isto e ele acha que não é algo que um garoto deve fazer. Meu marido é evangélico e o pastor da igreja que ele vai disse que isto é pecado.
A senhora pode me dar alguma instrução de modo de lidar com este tema do ponto de vista de um médico? Não quero falar para ele que é pecado porque o pastor da igreja do meu marido disse e pronto.

RESP: Cara Sra W.F.S. Sua pergunta é extremamente delicada e causa de muito sofrimento entre casais - já explico o porquê.
Muitos profissionais acham normal a masturbação como etapa do desenvolvimento.
Vamos avaliar uma criança. Ao descobrir seu corpo os pequenos tocam parte por parte como que se reconhecendo, e ao chegar em partes especiais como são os órgãos genitais, sentem algo diferente, prazeroso e podem se habituar a repetir os gestos. De nossa parte, como adultos, pais e responsáveis, devemos observar e com naturalidade distraí-los com brincadeiras, jogos, esportes, ocupação das mãos com coisas que os façam estar alegres e não preocupados e envolvidos com o próprio corpo.
Chegada a Adolescência (10/12 anos) novamente se interessam por descobrir sua nova configuração corporal, que vai ficando diferente e os órgãos genitais de novo chamam a atenção. Se ficam muito envolvidos consigo próprios, correm o risco de se fecharem, de encontrarem prazer apenas em si mesmos e prejudicarem sua abertura para o outro, o próximo, no sentido social e psicológico da maturação emocional normal. Podem se habituar, especialmente ante os conflitos, dificuldades, situações de ansiedade normais da vida de todos nós, a se fecharem em seu mundo e se isolarem, além de buscar o prazer de forma distorcida, prejudicando seu desenvolvimento emocional e psicológico.
Terão dificuldade de relacionamento com os outros, e chegando a se casar, não saberão associar AMOR / DOAÇÃO e serão como que egoístas que se bastam a si mesmos e não pensarão em dar-se integralmente ao cônjuge. O mesmo raciocínio se faz para as meninas /moças /esposas. Serão dois egoístas que buscarão o prazer em si mesmos, já se bastam e não terão as alegrias de um relacionamento sadio baseado na doação de si mesmos um ao outro. As pessoas ficam mais tristonhas, o desgaste psicológico é muito intenso e conforme o temperamento se isolam.
Vida aberta, esportes coletivos, arte- canto, música, dança. excursões em grupo,abertura para voluntariado de ajuda ao próximo, horário, vida disciplinada ( com que tantas pessoas se horrorizam ! )são caminhos sugeridos para as pessoas superarem o individualismo, os maus hábitos,o isolamento negativo em que se pode mergulhar. Converse primeiro com seu marido porque ele não está errado- para quem crê, realmente a masturbação consentida e procurada pode ser um pecado mas é necessário apresentar aos filhos também razões humanas- o porquê da necessidade de lutar para vencer as próprias tendências ao egoísmo e individualismo e conseguir ultrapassar os degraus normais do desenvolvimento e desabrochar para uma vida útil, alegre, produtiva. Os pais querem o bem dos filhos - aí uma preciosa razão de conversar e esclarecer.
Gosto muito de um autor - João Mohana, que escreveu a Vida Sexual dos solteiros e casados. Vale à pena procurar mesmo que seja nas livrarias de usados ( sebos) e ler com seu marido, oportunamente oferecendo aos filhos.
Desculpe a resposta longa- é um assunto de muita delicadeza que não se responde apenas com Sim ou Não. A seu dispor, Mannoun

Deficit de atenção ou manha de criança?
3 – A diz: Oi meu nome é A., tenho um filho de 11 anos, e foi diagnosticado que ele tem déficit de atenção. que foi feito através de exames com fono e neurologista do hospital São Paulo. Ele já até tomou ritalina, mas o médico suspendeu pelo fato de ele estar apresentando alguns transtornos, como depressão. Fui então encaminhada para passar com especialistas em outro ambulatório, psiquiatria infantil, cheguei fazer exames e até agora eles não me chamaram para dar um andamento no tratamento dele, porque to explicando? Para que vocês entendam o que vou lhes contar. Ele está na 5ª série e está complicado, a professora diz que ele tem preguiça, e aí fico sem saber como agir diante dessas circunstancias pois , falamos coisas que ele fica muito depressivo, não sei como cobrar, ou até onde cobrar dele, ele fala que ele é burro, que é diferente das crianças, e até nós mesmos ficamos nervosos com a situação e o pai dele fala coisas que ele fica muito magoado, aí eu não sei como agir , a gente chega até discutirmos por causa disso, o pai diz que ele é manhoso, de fato é mas o que me explicar dos 5 anos de fono que ele fez?? E não teve alta, apenas foi encaminhado para outro ambulatório eu por sinal estou até agora esperando eles me chamarem, mas o que vocês me orientam em relação a isto, preciso de uma ajuda , não sei o que fazer , não tenho como pagar um tratamento ou uma consulta pra ele , obrigada pela atenção, espero ansiosamente a resposta
RESP: Sra A. Bom dia !
A senhora só não disse onde mora, para que possa saber onde encaminhá-la com seu filho. Se for no Rio, existe no Hospital Universitário do Fundão, um excelente Serviço de Neuro Pediatria e ele pode ser tratado lá, com todo carinho e a senhora receberá, com o pai, orientação de como lidar com ele .
Se morar em São Paulo, certamente na Santa Casa ou na USP, ou nas Clínicas, conseguirá também acompanhamento para todos.
Enquanto isso procure ter muita paciência com ele. Toda a família sofre muito com o déficit de atenção de um filho. Não é assim porque ele quer, nem os pais querem e isso precisa ficar muito claro, muito bem entendido.
NÃO há culpados - todos precisam ser ajudados para que haja serenidade e ele possa aprender a conviver com esse modo de ser e não seja prejudicado. Não o trate com mimo, quer dizer, não " passe a mão em sua cabeça".Nessa fase dos 11 anos há coisas que ele pode fazer, perfeitamente. Ordem, horários, disciplina - ter a mãe do lado orientando o que fazer e como- regras que em todas as famílias são importantes. Traga os amigos dele para sua casa - brinque com eles, coordene jogos de bola, esportes, exercícios.
Que ele fique o mínimo de tempo na televisão e no computador. Jogos tipo videogame não fazem bem para ele. Melhor é fazer colagem, quebra cabeças, montar peças de brinquedos, ajudar nas tarefas de casa, arrumar a própria cama, lavar um banheiro, etc.
Se puderem, coloquem seu filho para fazer também parte de um grupo de esportes, explicando ao coordenador que ele é hiperativo, para que seja ajudado.
Não discutam ( pai e mãe ) por causa dele.Quanto maior a serenidade dos pais, melhor o resultado, porque ele é inteligente e sofre por perceber que é a causa de conflitos. Quando disser que é burro, diferente de outras crianças, explique o fato de cada pessoa é diferente mesmo, somos únicos, basta ver que cada qual tem uma impressão digital que ninguém mais tem...
Falem com ele corretamente, se falar com jeito de neném ou choramingando- sem brigar e sem elevar o tom de voz. É difícil, mas a gente consegue!
O fato de não poder pagar consulta não deve ser motivo de constrangimento - muitas vezes as pessoas preferem um atendimento nos Serviços Públicos - mas realmente devemos ter paciência e aguardar, o que não é fácil porque a procura é muito grande.
A melhora nos casos como o de seu filho é lenta, mas acontecerá, tenha fé e esperança! Peça muito a Deus por toda a família e não cruzem os braços.
Fico às suas ordens, Mannoun

3 comentários:

Odete A. Stingrer disse...

Dra estou me casando com um viuvo que tem 2 meninas de 9 e 13 anos. Elas são muito esquivas comigo e não sei o que fazer para conquistá-las. Sei que na idade da de 13 anos já deve rolar namorinhos. Como vou poder orientá-las se elas não confiam em mim? Já namoro o pai delas a 2 anos e ele ficou viuvo a 3 anos e meio. E neste tempo todo elas são muito fechadas. Vivo dando presentes a elas, fazendo agrados e nada, acho que a avó materna influencia as meninas.

ines_barbara_10 disse...

boa tarde.tenho uma filha de 13 anos estou passando uma face dificil com ela nao quer ir pra escola mais ja saiu de casa 3 veses nao sei como lidar com essa situaçao mais estou presizando muito de ajuda sou separada do pai dela ele nao me ajuda pq moro no rio de janeiro ele mora em outro estado me ajude por favor.

Liana Clara disse...

Inez, sua resposta estará no Perguntas e respostas da Dra Mannoum na próxima segunda após a data em que você fez a sua pergunta aqui, logo será no dia 30/11
Obrigada e participe sempre.

Postar um comentário