logo

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A beleza – Como o arroz: Acompanhamento

Já ouvi alguém dizer que a beleza numa pessoa é igual ao arroz na alimentação (pelo menos para os ocidentais) – é o acompanhamento.

Vocês já viram como cai bem um arroz fresquinho, bem feito com um suculento bife ou um peixe a doré? É um alimento que combina com quase tudo, o arroz, mas sozinho não tem muita graça. Assim é a beleza, ela é importante, é bem vista quando acompanhada de outros “pratos chefes”, como simpatia, educação, docilidade, cultura, firmeza de caráter e outras virtudes também importantes.

Quem já foi ou é bonita pode nos contar "de carteirinha" sobre o assunto. Já sentiu na pele o quanto se torna desagradável e perde parte do encanto quando se é pedante, vazia, superficial, com ares de superioridade, querendo ser o prato principal e não tem conteúdo substancial.

Que o Vinícius me perdoe, mas se beleza fosse fundamental, não haveria tantas belas e tantos belos mal amados. Um homem ou uma mulher bonita precisam cultivar sua inteligência, porque não há nada mais ridículo do que um “belo=burro” ou “músculos sem cérebro”.

Por mais que a medicina avance no campo da cirurgia plástica e dos cuidados com a estética do corpo, a beleza tem seu tempo de validade. Vejam que nestes dias observei uma figura pública da TV e notei seus “reparos estéticos”. Eles não conseguiram mudar a ação do tempo, mas conseguiram transformá-la numa caricatura do que era quando mais jovem e a fisionomia ficou artificial. No caso em questão o carro chefe da personalidade era a beleza, sem outros atrativos, logo a audiência só tenderá a cair, pela falta de conteúdo, o que ainda salva é a mídia que vai dando alguns empurrões para que continue em alta.

Vamos ensinar a nossos filhos a serem cuidadosos com o físico, mas nas devidas proporções. Que o belo nunca esteja acima de um bom caráter, da inteligência ou das virtudes. A beleza interior ressalta aos olhos e embeleza o todo.

O maior problema pra quem só vive desta parte, é que um dia vai constatar que “o tempo passou na janela e só Carolina não viu” – ( Chico Buarque)

7 comentários:

Paula Serman disse...

Muito bom artigo! Realmente, o "arroz" não pode ser o prato principal´: é muito gostoso, mas não dá consistência...

Liana Clara disse...

Sabe Paula, eu ouvi alguém dizer durante muitos anos esta frase pra namorada e depois para esposa, disse tanto que depois ele ficou sem o arroz! ahahhhahahahhah

Paula Serman disse...

É, mas essa frase só se diz uma vez! Pq tb todo mundo gosta de um pouquinho de arroz, né?

Stella Halley disse...

Um arroz bem temperadinho com azeite e alho pode ser prato principal, pelo menos para mim... ;-)

Brincadeira à parte, se a beleza é agradável e atrai, pode levar a enormes desapontamentos quando a verdadeira face, a interior, com o tempo se revela. Cuidar do constante crescimento nas virtudes, sem descuidar da aparência é o grande investimento.

Liana Clara disse...

Olá Stella, estamos on line, também gosto de um arroz bem temperado, não pode faltar o alho! rsrs
Você esta certíssima!!

Anna Ribeiro disse...

A mídia tem propalado que só atributos físicos poderão levar-nos ao sucesso,e muitos tem caído neste engodo!Pessoas sentem-se profundamente infelizes se não atingirem um determinado grau de magreza,e a juventude eterna...Valores como:dignidade,integridade,espiritualidade e altruísmo,quando presentes em nosso proceder, nos farão pessoas melhores perante nós mesmos,e em relação aos que de nós se aproximarem. Vantagem:tais atributos não são efêmeros,muito pelo contrário,aprimoram-se com o correr dos anos!

Liana Clara disse...

Essa eu li hoje e lembrei deste tópico:

Beleza sem virtude é como uma rosa sem fragrância

Postar um comentário