logo

sexta-feira, 22 de julho de 2011

O crescer numa família numerosa

Passei minha opção de mãe "médica" de pequenas emergências do dia a dia para minha filha recém diplomada em medicina. Ela agora assume meu posto com muito mais propriedade, e com o carinho de irmã e filha. Isso é a conseqüência da criação na família numerosa. Hoje quando tem algum dos menores com qualquer ai, ui, passo pra ela o encargo de reconhecer se é caso de médico, e se for, ela mesma resolve.

Vejamos que numa família numerosa os frutos ainda são muito mais numerosos, é o cem por um que Deus nos promete, se somos fiéis a Ele, e, até quando não somos, ele também nos premia com muitas bênçãos do céu.

Os filhos, cada um quando chega, vêm com um pão debaixo do braço, isto é, uma melhoria para a família. E depois, ao crescer, eles nos presenteiam com seus esforços e seu crescimento multiplicado por tudo que aprenderam durante suas vidas, desde o nascimento até a idade adulta.

Para os pais e mães, é um grande consolo e alegria ver seus filhos formados e bem. Não adianta uma ótima formação acadêmica e não serem pessoas de bem, de moral ilibada. O importante é estarem formados e serem capazes de fazer algum bem maior para a humanidade. Servimos aos nossos filhos para que eles aprendam a servir.

Voltando ao assunto inicial, ter vários filhos e cuidar para que deem frutos sempre tem um retorno. Uma filha médica ajuda também em casa com os irmãos, na saúde deles; outra, arquiteta e “estilosa”, ajuda as irmãs e irmãos a terem mais bom gosto e aprumo no vestir, no falar, no comportamento em geral. Os filhos engenheiros ajudam, cada um na sua especialidade, no trabalho do pai e, muitas vezes, pacientemente, ensinam as novas tecnologias à mãe e aos irmãos menores. Incluo nesses o filho analista de sistemas, que é um autodidata em outras áreas, e consegue ajudar a todos com sua perícia e bom humor.

Os menores, assistindo cada irmão no seu crescimento, por sua vez, têm um grande estímulo para também serem bem sucedidos na vida. E cada um também vai buscando nesta força que vem da família a coragem e a fortaleza para vencer os momentos difíceis, sabendo que podem contar uns com os outros.

Ainda teremos mais três possibilidades de profissões diferentes em casa. Uma com certeza na área de hotelaria, outra indo para Comunicação e a menor ainda sem saber bem qual caminho seguirá, tendendo sempre para aquelas que mais admira em casa. Ao crescer, com certeza terá sua própria vontade profissional, já conhecedora de um pouquinho de cada profissão convivida em casa.

É preciso mais alguma propaganda para decidir sobre uma família numerosa?

8 comentários:

João Felipe disse...

Muito divertido o texto! Deve ser muito bom ter uma filha médica! Assim como uma arquiteta, um engenheiro...
Abraço,
João Felipe

Liana Clara disse...

Olá João, é bom mesmo! Estamos sentindo falta das suas colaborações! Abraços

Gabrielle disse...

E a família grande ainda é excelente pra ensinar medicina pras amigas: até hoje reconheço escarlatina por causa da Ana Paula!

Stella Halley disse...

Já ouvi que cada família deveria ter um médico, um engenheiro e um advogado. Acho uma ótima idéia, mas meus filhos pensaram diferente. Assim temos um advogado-biólogo, uma hoteleira, uma comunicadora que formata livros, um futuro administrador e, talvez, uma psicóloga. De qualquer jeito, essa diversidade é uma bênção.

Liana Clara disse...

Querida Gabi tenho certeza de que a sua participação nessa família foi , pra nós também, enriquecedora! Bjs

Liana Clara disse...

Oi Stella, também acho! Aqui ainda falta um advogado.
Os seus filhos estão muito bem , e vc está de parabéns! Bjs

Elizabeth disse...

Oi Liana esta é a história de sua familia? E as fotos tb? Adorei

Liana Clara disse...

Oi Elizabeth é uma das histórias da minha família sim. Como o nosso tema é a família, aproveito as vezes, para contar umas coisinhas da minha. Sou muito coruja desses meus filhos.
Abraços

Postar um comentário