logo

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Envelhecemos a cada filho que temos?

É uma verdade que cada filho que temos nos envelhece 5 anos? Pelo menos é o que dizem alguns psicólogos por aí. Só agora percebi isso, aos 55 anos de idade cronológica e 9 filhos. Pasmem: estou com 100 anos! Incrível como isso tem seu lado bom, até me sinto bem conservada pra tanta idade!

Para os 55 estou meio acabadinha... cansada e com poucas forças, mas para 100 anos , estou “ um broto” – como diria o Roberto Carlos. “Um broto legal”.

O que envelhece não são os filhos e sim os afazeres que aumentam com a chegada de cada um.

Como Deus é muito bom, não nos deixa sentir este aglomerado de coisas e os dias vão passando e vamos apagando os incêndios aqui e ali que acontecem diariamente, e tocamos tudo para frente com galhardia e bom humor. Aliás, ter muitos filhos nos deixa mais bem humoradas, faz parte da ajuda do nosso Pai celeste.

Quando somos jovens, não sentimos o peso das atribuições, damos conta do recado, aprendemos a priorizar o importante e deixar passar o que não é essencial, para outro dia. E isso fica como treinamento para a vida daí por diante.

A sugestão que dou às recém casadas é que tenham seus filhos ainda jovens para fazer tudo sem perder o encanto e a juventude, e que não se deixem levar pelo emaranhado de tarefas e minúcias e cuidem da aparência pessoal, não esqueçam que o marido é a primeira pessoa importante desta família. E vice versa para o marido.

Volto a dizer: o que envelhece não são os filhos, o que nos cansa e desgasta, nos tira o viço, é a falta de cuidados conosco, um pouquinho de atenção a nós mesmos, sem exageros, já será o suficiente. As férias também ajudam, um tempo de descanso ou pelo menos de mudança de ares já dá novo ânimo.

Independente da nossa vontade surgem doenças grandes e pequenos sustos, apreensões que vão sulcando nossa expressão facial. Mas com tudo, e apesar de tudo, esse tempo passado é maravilhoso, uma vida ativa, doando-se sempre e com frutos espetaculares, mostram que tudo VALE A PENA.

A nossa alma cresce e rejuvenesce com o passar dos anos, apesar dos cabelos brancos, (que vamos escondendo com uma boa tintura). Não podemos nos permitir é o desanimo, e que estas maravilhas não se percam na nossa memória e que continuem presentes pelo resto da vida.

A grandeza de uma mãe e de um pai é algo imensurável que só Deus poderia ter criado.

4 comentários:

Stella Halley disse...

Liana, você está viçosa e jovem como sempre!

Um amigo meu, pai de 9 rebentos, dizia que a gravidez embeleza a mulher. Se a gente se cuida direitinho, também acho que sim. Filhos ainda têm a vantagem de atualizarem a gente! Aceitar o que Deus manda, poucos, muitos, um, nenhum, e ser amigo dos jovens, nos confere maternidade eterna para abraçar o mundo.

Liana Clara disse...

Só as amigas e o marido eterno apaixonado acham isso de mim,ahahhahhah
Mas vc disse uma verdade, a nossa aceitação a vontade de Deus é que nos deixar bem, sejam muitos ou poucos ou até nenhum, mas tudo o que Ele nos mandar.

Maria Teresa disse...

Deus nos dê a Sua graça, um marido com vista bem cansada e um bom cartão para comprar uns creminhos que ajudam a manter o viço ( ou disfarçar sua escassez) e filhos para serem nossa alegria e motivo de generosidade, como diz o texto, maravilhoso, que foi posto antes deste no blog! Filhos dilatam a alma, e a maternidade, física ou espiritual, nos ajuda a vermos os outros como filhos e irmão no Pai. Ótimo texto, Liana. Uma surpresa boa, rsrsrs.

Liana Clara disse...

Com o excesso de lama, depois da enxurrada, acho que ando meio parca de raciocínio e não entendi bem, rsrsrsrsrs, mas vc tem toda a razão,Tetê, qt a cegueira do marido e a felicidade de ter os filhos.
Beijos

Postar um comentário