logo

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Meu interlocutor: a parede

Sempre me lembro do Bidu, cachorrinho azul, personagem, de Maurício de Souza, e suas conversas filosofais com a pedra; que, nesse caso fala, dialoga.

 Esse preâmbulo foi para mostrar como é o dialogo entre marido e mulher, em algumas fases de comunicação mais difícil,  porém, com uma agravante: diferentes da pedra que fala, são como paredes mudas, não dão nem indícios de que ouviram também.

 Os assuntos começam a não ser de interesse mútuo e passam a existir silêncios constrangedores. Sem nem mesmo um "é" da parte quem ouve, dando indícios de ter ouvido.

É mais comum acontecer isso com os maridos: o papel da parede. Ouvirem sem ouvir e sem responder ou dar um sinal de estarem atentos.

Já a mulher, via de regra , gosta mais de falar e é difícil para ela não emitir nenhum som durante a conversa, mesmo que o assunto não seja de seu agrado. Ela, com certeza, vai pelo menos mexer a cabeça que sim ou que não.

O homem, quando fala, prefere ver a atenção da esposa: olhando-a sem falar, sem diálogo, ele gosta de concluir sua ideia, sem apartes, promovendo assim, infelizmente, longos monólogos. Coisa totalmente estranha e absurda para a mulher, que gosta de trocar ideias e participar das conversas, ora concordando, ora discordando, ou mudando o rumo da conversa, quando já chegou no seu limite ou está chata demais.

 Como homem e mulher são bem diferentes em suas estruturas físicas, também o são nos seus intelectos, e ambos precisam de ajustes para melhorar a convivência; para a harmonia conjugal e para que, com o passar dos anos de casados, não criem um abismo entre os dois.

Ceder é para os fortes. Contudo, convencer é para os inteligentes. E,para os que amam ,é importante as duas coisas.

8 comentários:

Stella Daudt disse...

Liana, você já viu uma comédia inglesa chamada "Shirley Valentine"? Pois a Shirley, depois de vários anos de casada, viu-se falando com a parede da cozinha. Foi preciso que ela se mandasse para a Grécia para o marido cair em si e resolver reconquistá-la. Muito interessante mas pouco exequível. Temos que conseguir respostas por aqui mesmo... Mas uma lua-de-mel nas ilhas gregas cairiam bem, não acha?

Liana Clara disse...

Stella, seria um sonho, poder conversar com as paredes da Grécia!rsrsrs
Vou procurar ver essa comédia, deve ser divertida.

Patricia disse...

Oi, mocinhas!
Já ví há muitos anos esse filme e é daqueles que a gente poderia comprar uma cópia(sem piratear...)para rever quando der vontade.

Se não me engano, no meio desse filme tem uma situação parecida com a do "ESQUECEREM DE MIM", 1 e 2. É engraçadíssimo mas com um "que" de trágico, se pararmos pra pensar nos esquecimentos do dia a dia, e na carência afetiva que isso causa...ÔLHO EM TODOS OS QUE AMAMOS E PRECISAM SABER DISSO...TODOS OS DIAS, não só com palavras mas com PRESENÇA em suas vidas.
Vou tentar encontrar na locadora, agora que vocês me lembraram dessa estorinha tão boa, até pra tirar a dúvida quanto ao episódio que mencionei...e talvez esteja em outro filme...rs rs rs(nossa MEMÓRIA tb.fala com as paredes às vezes!)Quando descobrir ao certo se é nesse filme que está a tal cena "tragicômica" conto procês, e se for em outro, mando o TÍTULO DELE tb.

Abração,
Pat

Stella Daudt disse...

Já estou esperando, Patrícia...

Liana Clara disse...

Oi Pat, obrigada pelo "mocinhas", adorei!
Assim que encontrar o filme avise. Podemos colocar um resuminho aqui, ou você ou a Stella poderia arrumar para nós. Que tal?
Bjs

Patricia disse...

Vou providenciar o mais breve possível, de preferência, quando a temperatura baixar um pouquinho dos 40º que escutei dizerem que tinha marcado hoje! Eu estava sentindo que andava PRA TRÁS! Sem brincadeira, fiquei tão zonza na rua que já estava vendo luzezinhas piscando...ainda bem que estava perto de casa e minha irmã me ajudou a trazer nossa mãe de volta do exame que teve que fazer hoje à tarde. Aliás, um dos melhores lugares pra gente ficar nesses dias pesados de calor, é assistindo a um bom filme com o ar condicionado a toda!(depois...é só curar a gripe, né?)

Ah! Que vontade de ver esse filme outra vez!Se forem dois filmes diferentes mas igualmente engraçados, a Stella pode fazer "o dela" e eu, o tal parecido, rs rs rs.

Bjsssss geladinhos!

Liana Clara disse...

Eu já consegui a gripe, antes mesmo do calor total. Estou sem voz e com muita tosse, então, já estou prontinha pra assistir os filmes que sugerirem. Agora nem com a parede consigo falar!! rsrsrs

Patricia disse...

Ânimo, Liana!

Melhoras, e se for preciso,nem o antibiótico resolvendo a gripe, te empresto uma "cura infalível" para quando a gente tem que ficar em repouso(mas que ainda consegue dar muitas gargalhadas!)

Conhece o seriado THE NANNY? A atriz principal é a Fran Drescher, que já esteve no Brasil em visita há uns 4 ou 5 anos. O nome do ator principal acho que é Charles Shaughnessy, patrão rico, viúvo com 3 filhos, inglês charmoso,produtor na Broadway,"Mr. MAXWELL SHEFFIELD".

Foi o seriado mais inteligente, interessante, divertido, FAMÍLIA, que comprei! Pena que ficou faltando lançarem a última temporada onde aparecia o casório da babá com o patrão num salão do METROPOLITAN MUSEUM! Até hoje procuro em lojas para comprar mas acredito que não chegaram a lançar no mercado.

Se alguém souber onde existe em algum lugar, essa última caixa com os DVDs me avise por favor que vou correndo comprar!

Bjo,
Pat

Postar um comentário