logo

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Passos para alcançar a paz (na virtude)

Vontade. Muitas vezes embora as crianças conheçam o bem e o mal, falta-lhes força de vontade, não aprenderam o hábito do esforço, são crianças "boas", mas talvez estas crianças não aprenderam a dominar-se, nem a pensar nos demais, nem a sacrificar-se, sentem que o mundo gira ao redor deles, muitas destas crianças se tornam "tiranas".

Exigência. Os filhos devem ser exigidos, claro que dentro de suas possibilidades, ensiná-los a enfrentar os problemas e a esforçar-se para resolvê-los, que saibam sentir-se orgulhosos de terem sido capazes de realizar as coisas por si mesmos.

Valentia. Que tenham heróis que inspirem sua vida, mas que sejam heróis de grandes ideais, porque atualmente são apresentadas às crianças a violência como forma de heroísmo, necessitam dos pais para que lhes ensinem o que é nobre e grande.

Respeito. Cuidar para que as crianças não adquiram o costume de tomar as coisas dos outros, por mais insignificante que seja o roubo; e se quebra algo alheio, deve ser reposto, ensinar-lhes que as coisas alheias sempre devem ser respeitadas.

Generosidade. É algo que por si é difícil nas crianças, é nesta idade quando tendem a ser mais egoístas, por isso é importante que eles vejam um bom exemplo: como seus pais ajudam ao necessitado ou ao que tem algum problema (dentro das próprias possibilidades).
Para despertar nas crianças o sentido de generosidade, pode-se acostumá-los desde pequenos a renunciar algo seu e compartilhá-lo com alguma outra criança.

Cortesia. Gastón Courtois disse que a cortesia "é filha do respeito ao próximo e irmã da caridade". Aquele que é cortês sabe que não é o centro do mundo, é uma pessoa que pensa nos demais e em seus sentimentos.

O domínio de si mesmo é um elemento que vai de mãos dadas coma cortesia. Uma criança sente raiva porque algo saiu mal ou porque um irmão quebrou-lhe alguma coisa e não é ensinado a se controlar, quando grande lhe será muito difícil, se não impossível manter o controle de seus atos e muito menos respeito pelos demais.

Ordem. É um elemento essencial para que haja harmonia e equilíbrio em um lar. Quando há ordem em uma casa, há normas e limites, isto proporciona segurança aos filhos e lhes ensina a ter disciplina.

Caridade. Não se pode deixar de mencionar este valor essencial para que haja paz, pois é um elemento que determinará a qualidade da pessoa e sua capacidade para relacionar-se com os demais.

Buscar o bem pessoal e o dos demais é justamente o que traz como conseqüência a paz.
A paz é o resultado de muitas atitudes, todas estas fundamentadas precisamente na caridade, não entendida como esmola, mas como amor.

Gastón Courtois também escreveu: "Quando a caridade domina, a humanidade se engrandece. Quando o egoísmo reina, a humanidade se rebaixa".

Que responsabilidade têm os pais de ensinar esta virtude aos filhos! Em suas mãos está a possibilidade de existir sociedades justas e pacíficas.
http://www.acidigital.com/familia/pazcomeca.htm

2 comentários:

Gabriely Cruvinel disse...

Infelizmente é isso que acontece: "não aprenderam o hábito do esforço".
Eu penso que isso pode estar relacionado às famílias pequenas. Quando as famílias têm muitos filhos, essa virtude é mais exercitada. As mães têm que dividir o tempo entre cuidar dos filhos, do marido e da casa. Quando é assim, os filhos passam a ter mais responsabilidade desde pequenos: varrem a casa, tiram o pó dos móveis, lavam as louças, guardam os pratos. As tarefas são divididas, porque há mais trabalho a se fazer. Aprendem a ser ordeiros, a cuidar dos irmãozinhos mais novos, a dividir os brinquedos e os afetos.
É claro que isso pode (e é) ensinado em famílias pequenas. Aqui em casa, por exemplo, somos só três filhas. Mas o tempo que a mãe tem, nesse caso, é bem maior, e pode perfeitamente cumprir as obrigações de casa sozinha, sem procurar cobrar dos filhos. Aqui em casa, por exemplo, somos só três filhas. Eu penso que é mais fácil ensinar quando são muitas crianças.

Liana Clara disse...

Olá Gaby, sábia é a mãe que ensina desde pequenos, seus filhos a fazerem tarefas em casa. Tudo isso ajuda e muito para o futuro destes próprios filhos.
Depois, quando entram para uma universidade e criam asas, vão precisar fazer de tudo um pouco e aí sentirão o quanto foi útil todo o aprendizado de casa.
E com certeza uma família maior, já faz com que seus membros aprendam, por necessidade, muitas destas virtudes das quais fala-se acima.
Beijos e visite-nos sempre.
Estou gostando muito do seu blog Cozinha e Biblioteca.

Postar um comentário