logo

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Aniversário de casamento

Por Carol Balan

Na terça-feira comemoramos oito anos de casados. Como estamos economizando, decidimos não comemorar fora de casa e nossa programação ficou: missa à tarde, jantar especial (feito por mim) com os filhos e, para finalizar, assistir ao vídeo do casamento.

Depois da missa, durante a benção, o padre disse que nós havíamos nos mantido juntos até hoje, com tudo de bom e também com todas as dificuldades e pediu a Deus que nos desse forças para sempre nos manter unidos.

Fiquei pensando bastante nisso. Oito anos juntos é bastante tempo. Tempo suficiente para nos conhecermos, para cada um mostrar quem é verdadeiramente, sem aquela "maquiagem" que usamos no tempo de namoro, quando a nossa convivência com o outro é menor. Também já é um momento em que, se deixamos os problemas crescerem demais, podemos começar a pensar se o casamento realmente compensa ou se é melhor uma separação. Porém, acredito que se o casal estiver decidido a se manter unido, ainda que as dificuldades apareçam, essa união não se dissolverá tão facilmente.

Na verdade, todas as relações apresentam suas dificuldades: quando adolescentes, brigamos com os pais; na escola, discutimos com um colega ou pegamos implicância de um professor; um vizinho que faz muito barulho, acaba por nos irritar. O que precisamos pensar é quanto vale a pena ceder àquela situação ou não. E, ainda mais importante, o quanto nós podemos fazer para que aquela situação se resolva da melhor maneira possível.

O padre que celebrou nosso casamento nos disse que precisávamos entrar no casamento não pensando em nossa felicidade, mas pensando em fazer o outro feliz. Realmente, quando pensamos na felicidade do outro, aceitamos ceder e deixar as nossas vontades de lado por um instante. Se ambos fizerem isso, a chance de se atingir a felicidade é muito maior do que se cada um ficar lutando para alcançar a própria felicidade. Além disso, também existe felicidade em ver o outro feliz. Não é uma delícia ver que as pessoas que amamos estão felizes?

Nesses anos de casamento tivemos muitas coisas boas e muitas coisas ruins, mas o mais importante é que estamos vendo nossa família crescer, estamos amadurecendo juntos e aprendendo a nos respeitar e amar cada vez mais. Estamos só no início da jornada, ainda teremos muitos anos pela frente, se Deus quiser; porém, o que peço e espero é que possamos continuar sempre assim: valorizando o que há de bom e aprendendo com o que acontecer de ruim.

3 comentários:

Pat Carol disse...

Carol, que linda noiva você era e continua sendo!Quem sabe, nas suas Bodas de Prata, ainda estarei por aqui pra rezar por essa família tão unida(85 aninhos? minha mãe completará 100 anos no próximo ano!)
Abraço apertado,
Pat Carol

Jaqueline Melo disse...

Que linda noiva! Que linda história! Deus abençoe sua união querida!

Carol Balan disse...

Pat, olha que temos tempo até as bodas de prata, faço uma festona e te convido pra vir!! Que lindinha sua mãe chegando aos 100 anos!! =) Beijos


Amém!! Muito obrigada, Jaque! Beijos

Postar um comentário