logo

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Filhos: ótimos imitadores!

Raquel Suppi

Já é sabido que as crianças costumam imitar o comportamento dos adultos que as cercam. “Um exemplo vale mais que mil palavras”, seja ele bom ou mau. Por isso, vigilância e muito esforço para tentarmos ser sempre um modelo digno de ser “reproduzido”. No entanto, se por um lado é motivo de preocupação e alerta, por outro, ver os filhos nos “copiando”, pode arrancar muitas risadas – quando a imitação é sadia, claro!

A filha “tratando” a boneca com o mesmo carinho e delicadeza que é cuidada pela mãe; o filho comemorando o gol do time do coração exatamente como o pai; as crianças dando bronca ou fazendo festa com o cachorrinho da casa do mesmo jeito que os pais fazem; os irmãos chamando a atenção uns dos outros usando os mesmos argumentos dos pais, e por aí vai! Tenho certeza que cada família tem muita história do tipo! E com a minha não é diferente! Temos muitos casos assim, foi até difícil selecionar qual iria contar! (Risos).

Pedrinho, nosso filho do meio – de dois anos –, é um menininho lindo, esperto, simpático e super arteiro. Desses que, se ficar sozinho, certamente vai aprontar. Também, não é de se conformar ou se deixar convencer facilmente. Quando quer alguma coisa, luta bastante para conseguir, não importa quem esteja envolvido! E, destemido como é, se achar necessário, apela para o grito ou violência! Por conta disso, estamos sempre na cola, corrigindo e colocando de castigo.

Recentemente, o condomínio onde moramos passou por uma grande reforma. Em alguns momentos, a obra era bem barulhenta, e deixava os meus meninos incomodados, principalmente quando estavam assistindo desenho na sala. Nesses momentos, eu ligava a TV do quarto ou tentava distraí-los com outras brincadeiras. Geralmente funcionava e ninguém ficava irritado. Certa tarde, porém, não foi bem assim...

Eu estava na cozinha quando a zoada começou e, antes de conseguir fazer alguma coisa, escutei um pequeno alvoroço vindo da varanda. Era o Pedrinho, bastante zangado com toda a barulheira, disposto a “resolver” tudo! Ele foi até a sacada e, ao avistar alguns pedreiros reformando a casa da frente, começou a brigar. Na verdade, ele berrava para ser escutado, mas não teve muito sucesso. Mesmo assim, não desistiu fácil e, coincidentemente, os trabalhadores iniciaram um serviço mais silencioso. Assim, meu bravo garotinho voltou para a sala, cheio de sorrisos e de satisfação, como se tivesse vencido um importante duelo! (Risos). Mas o mais engraçado foi vê-lo – um pingo de gente – vociferando, dizendo praticamente as mesmas coisas que o pai e eu falamos quando chamamos a sua atenção:

- Pálem com isho, A-GO-LA! Quélem ficá de CAS-TI-GO? Óla a peia! Hum! (Tradução: Parem com isso, A-GO-RA! Querem ficar de CAS-TI-GO? Olha a peia! Hum!).(Peia é um termo local de Fortaleza que quer dizer uma palmadinha).

Claro que depois de rir sozinha, fui conversar com ele, tentando explicar que aqueles homens estavam apenas trabalhando e que não fizeram nada de errado. Acho que alguma coisa ele entendeu. Isso porque, nos dias seguintes, ele nos imitou de outra maneira (com a expressão corporal). Sempre que o barulho começava, ele corria para a varanda irritado, mas não dizia nada. Apenas cruzava os braços, e ficava encarando os trabalhadores, com cara de poucos amigos, e um leve balançar de cabeça – indicando que não estava nada satisfeito com aquilo! Foi como me ver através do espelho! (Risos).

2 comentários:

Pat disse...

Oi, Raquel!
Rolei de rir e senti admiração pelo Pedrinho! Eta menininho decidido! E muito inteligente tb,. visto que ele se levantou pra defender "sua causa" de forma ADULTA: cara zangada e voz segura, para manter a ORDEM NO PEDAÇO, sem perder a MORAL, rs rs rs

Quem sabe, ele fará parte no futuro do País, exercendo algum cargo de comando, talvez, "Promotor Público", colocando os "meliantes e aloprados" na CADEIA! ÓLA A PÉIA, HUM!
Bjsssss,
Pat

Raquel Suppi disse...

Foi uma graça assistir à cena, Pat! kkkkkkk Espero msm que ele faça a diferença, no futuro, sempre em vista do bem!
Bjos!

Postar um comentário