logo

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Uma boa dica para assistir - "Jogo da Imitação".

Por Patricia Carol Dywer

Hoje assisti ao filme que mais me interessava que foi o "Jogo da Imitação". Adorei!

É tirado de um livro sobre a biografia de Alan Turing, matemático inglês que ajudou os aliados a ganharem a II Guerra Mundial. Concorre a oito prêmios no Oscar: melhor filme, direção, ator (Benedict Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, montagem, trilha sonora e desenho de produção.

Após estudar em Cambridge e Princeton, o matemático e prodígio Alan Turing foi chamado para, junto de um grupo de criptógrafos, decifrar um código nazista durante a II GM. Ao chegar à instalação militar secreta Blentchley Park,Turing, rapaz tão tímido quanto arrogante, foi rechaçado pelos colegas. Essa experiência ele já tivera no colégio, pois desde cedo pensava "diferente" dos outros. Sua prepotência aliada à inteligência foi decisiva para que seus chefes o colocassem na posição de líder. Para não perder sua melhor cooperadora no plano secreto, já que ela achava necessário voltar para casa e tentar arranjar um marido, como era desejo de seus pais, ele num ímpeto pediu-a em casamento.

O roteiro, contudo, passa de raspão pela intimidade do biografado para dar ênfase ao seu trabalho, considerado precursor da ciência da computação. Levado em clima de tensão dramática, o filme prende a atenção pelo inesperado desenrolar da história. Na vida real, sua descoberta, decifrar o ENIGMA para os aliados poderem antecipar a vitória na Guerra, ficou escondido pelos governos envolvidos no projeto secretíssimo, até a morte do gênio Turing, aos 42 anos, por suicídio. Então a rainha da Inglaterra deu-lhe uma medalha pela sua participação nessa vitória dos aliados contra Hitler, e revogou a pecha que recaíra sobre ele, devido à sua homossexualidade, que na época da guerra, era considerado "crime hediondo" na Inglaterra.

É indicado para maiores de 12 anos, mas acredito que nessa idade ainda possa ser um pouco sério demais, embora historicamente, seja interessante.

2 comentários:

Soy Sofia Maror disse...

Grande história, mas o final é muito injusto. O interessante é que O jogo da imitação, em princípio, parece-II Guerra Mundial. Tem soldados, tanques, ecos de bombas, a sombra de Hitler. Avanços, percebemos que abrange mais do que um evento histórico. abrangido pela presente de nossas vidas. Alan Turing foi um herói injustamente esquecido. Turing não existiria sem Bill Gates ou Steve Jobs não teria existido. Mesmo algumas lendas atribuído à Apple Turing Wolf.

Liana Clara disse...

Cara Sofia, suas observações são pertinentes, porém não invalidam a classificação do filme, como sendo um bom filme. A história aconteceu na realidade , desta maneira.
Não posso afirmar que o Steve Jobs não teria chegado ao de chegou caso o Turing não tivesse existido.
A informática poderia se desenvolver de algum outro modo , com algum outro gênio. Sempre que se pesquisa ou se desenvolve algo, existem uns dois ou três ou mais fazendo a mesma coisa.
Infelizmente, mas ainda a tempo, ele foi reconhecido na sua capacidade.
Seja bem vinda ao blog para nos visitar sempre e dar sua contribuição com suas observações. Um abraço

Postar um comentário