logo

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Do lar?

Outro dia eu estava assistindo um filme na TV e duas senhoras inglesas ridicularizavam a personagem principal justo por ela ser uma simples dona de casa a vida inteira.

No desenrolar do filme, esta simples dona de casa se mostra mais capaz e mais astuta que as outras que riram dela.

Uma mãe de família, uma esposa, aprende muito cuidando do seu lar, e, se tiver horizontes abertos, aprenderá muito com a vida e terá conhecimentos gerais muito grandes, adquirido pelo convívio com os filhos e com a atualização diária através de jornais e outros meios de comunicação.

Não penso que uma dona de casa precise estar parada no tempo, só porque cuida do lar e não de uma multinacional. Ela estará tão ou mais atualizada com o que acontece no mundo quanto uma funcionária pública ou uma executiva bilíngüe. Basta que tenha interesse em crescer intelectualmente para seu próprio benefício e para estar no mesmo nível que os filhos e marido.

A dona de casa que exerce a profissão de “executiva do lar” tem a obrigação de, além das múltiplas tarefas domésticas e dos cuidados com os filhos e marido, se atualizar e estar sempre à frente das notícias que acontecem pelo mundo a fora, a fim de poder orientar seus filhos, principalmente quando chegam à adolescência, sobre o que é certo e o que é errado. Tais mulheres são, acima de tudo, formadoras de opinião, e de grande valia, pois estão formando os homens e mulheres de amanhã.

Não se envergonhem por colocarem o termo Do lar como profissão, lembrem-se que juntando fica DOLAR, uma moeda ainda muito valorizada! Trocadilhos à parte, tenho certeza de que é mais uma profissão que deveria ser muito valorizada e bem remunerada, haja vista que, sem as mesmas profissionais, o mundo vira de ponta cabeça, como anda atualmente, sem estas nos seus lugares, assumindo o leme do barco.

Podem cair de pedras, não me importo, mas por experiência própria posso dizer que vale muito à pena abrir mão de horários integrais na rua, como executivas, para cuidar de perto da família e da casa. Um lar é uma mini empresa onde os funcionários estão em constante aprendizado.

Há muitas exceções, mulheres que de fato precisam trabalhar, porque são o sustento da família; nestes casos os filhos bem compreendem e se ajustam, conforme as necessidades, mas onde a mulher sai porque só pensa em buscar sua realização pessoal, ascensão e brilho, aí deixa um vazio na família que pode trazer consequências desagradáveis na formação de seus filhos.

Vamos olhar com melhores olhos as donas de casa e mães de família que se dedicam exclusivamente a isso. Vamos ajudá-las a encontrar o equilíbrio entre suas tarefas e seu cuidado pessoal.

5 comentários:

Patricia Carol disse...

Formidável artigo!

A parte mais FELIZ da minha vida "Vocacional" como MULHER E MÃE foi durante esses anos com o PRIVILÉGIO que tive de poder cuidar eu mesma dos meus filhos pequenos, e depois já adolescentes,ainda podendo acompanhá-los muito de perto sozinha, coincidindo com a minha viuvez.

Posso falar "ex-catedra" sobre essa FELICIDADE, pois tive os dois tipos de vida: "mãe em tempo integral" e "mãe na correria de trabalho profissional fora do LAR," por necessidade de sobrevivência dos filhos, meus dependentes até se tornarem adultos.

Até hoje, sinto que a PRIORIDADE mais importante na minha vida foi SEMPRE O CUIDADO DOS FILHOS,DO LAR, A DISPONIBILIDADE EM GERAL PARA OS AMIGOS E PARENTES.

Agradeço a Deus ter me dado também a oportunidade de colocar em prática outros conhecimentos que fui acumulando ao longo do tempo, e que muito me serviram no sustento necessário para a FAMÍLIA.
Abração!
Pat

Liana Clara disse...

Olá Patricia, você dando um toque conclusivo ao assunto. Muito obrigada pela participação constante. Beijos

Claudia, Carlos e Sophia disse...

Adorei também o artigo.
Eu também digo o mesmo. Sou feliz sendo dona de casa. Posso cuidar da minha família e ainda ajudar aos outros. Somos um pouco de cada. Pois pelo dia fazemos de tudo.Ja são quase 21 anos de dona de casa. Tive tempo de estudar, passear, fazer amizades novas e viajar. Tudo em seu tempo. Pois nossO tempo é diferente. Não temos horario para parar. Desde que acordo tenho varias atividades. Mas digo com firmeza sou feliz. No momento minha vida de dona de casa e muito tranquila. Pois tenho ajuda que nunca tive nesta anos todos. Mas no tempo que tenho mais. Cuido intensamente do nosso tesouro. Nossa pequena menina.Conhce muitas dona de casa. E são as pessoas muitas prestativas e felizesssssssss.

Liana Clara disse...

Olá Cláudia! Nossa querida blogueira da Índia!
Aproveite as novas facilidades de ajudas para curtir mais a filhota e estudar novas coisas por aí. Beijos

Cristina disse...

Gostei. Muito.È muito engraçado, já vi muitas mulheres que vivem sonhando em ter o "seu" negócio,porque ser dona de casa é trabalho demais...será que elas se esquecem de que já têm o seu próprio negócio quando formam uma família? Afinal elas são ou não as donas de suas casas? eu eim...tá tudo muito doido, as mulheres parecem não saber o que querem.Cristina

Postar um comentário