logo

domingo, 28 de agosto de 2011

Li por aí: (19) Saber agradar aos outros.

Um excelente texto do Pe Paulo M. Ramalho

Como vocês já perceberam, a convivência no dia-a-dia é tudo. E, neste sentido, nada melhor do que conviver com pessoas que procuram agradar aos outros. Por outro lado, nada pior do que conviver com pessoas desagradáveis.

Como nós agradamos aos outros? Agradamos:
- sendo delicados;
- sendo oportunos;
- respeitando o modo de ser das pessoas;
- falando coisas positivas.
Cada um destes pontos é fundamental!!! Neste sentido:

1. Tenho sido uma pessoa delicada?
A delicadeza se mostra principalmente no tom de voz. A voz deveria ser como uma onda de afeto e carinho que atinge as pessoas. Não deveria ser nem um relâmpago, nem um trovão.
Por que há pessoas que falam de modo agressivo? Porque o seu coração está doente: não há paz nem amor no seu coração. Quando alguém não possui paz e amor no seu coração, as pessoas que estão à sua volta ao invés de serem amigas são inimigas. São fonte de aborrecimento. Estão contrariando continuamente o seu “ego”. E como os outros o aborrecem, falam de modo aborrecido, de modo agressivo.
Que reine a paz e o amor nos nossos corações e que tudo o que nos mova seja o desejo de agradar as pessoas que estão à nossa volta.

2. Tenho sido uma pessoa oportuna?
Ser oportuno é ser paciente. É saber o melhor momento de falar as coisas. É saber esperar as pessoas concluírem os seus argumentos. É saber falar num bom momento, quando as pessoas estão serenas e tranquilas.

3. Tenho sabido respeitar o modo de ser das pessoas?
Tenho sabido respeitar as suas manias, as suas características temperamentais: gostos, inclinações, modo de andar, modo de falar, modo de vestir, etc, sem fazer críticas negativas e gozações? Tenho sabido respeitar inclusive os seus defeitos?
Nada melhor do que estar ao lado de alguém que nos compreenda!!! Alguém que não brinque nem se aborreça com os nossos defeitos. Alguém que nos ajude a arrancar os nossos defeitos, mas saiba fazer isto.
Será que tenho sabido respeitar profundamente as pessoas? Tenho me comportado com elas como gostaria que se comportassem comigo?

4. Tenho falado coisas positivas?
Este é um grande segredo na convivência: que 99% das coisas que falemos sejam positivas, esperançadas, otimistas.
A pior coisa que existe é conviver ao lado de uma pessoa que vive falando que este mundo não dá, que este mundo é uma droga, que todo mundo é ladrão, etc. Pessoas azedas. Pessoas que vivem criticam tudo o que fazemos.
Como é bom lembrar aquilo que dizia um santo: “se não é para louvares, cala-te!”.
Se queremos ter à nossa volta um ambiente agradável, saibamos agradar aos outros. Foi o que Cristo fez ao longo de toda a sua vida. E, por isso, foi uma pessoa tão querida, tão lembrada, tão marcante. Imitemos Cristo e assim difundiremos “um cantinho do Céu na terra”.


Pe. Paulo Monteiro Ramalho - Sacerdote. Formado em engenharia civil pela Escola Politécnica da USP doutor em Filosofia pela Pontificia Università della Santa Croce.

2 comentários:

Stella Halley disse...

Ótimo texto! Seguindo esses conselhos, posso aumentar a felicidade ao meu redor.

Falando com delicadeza e no momento oportuno há mais chance de sermos ouvidos quando uma correção é necessária. Aprender a frear a língua e crescer em virtudes! Essa é A missão.

Liana Clara disse...

É Stella o freio na língua é o mais difícil . Mas vamos lutar!! Bjs

Postar um comentário